Por que não falam tudo

Por que não falam tudo

Nesta semana, a Polícia Federal cumpriu um mandado de busca e apreensão na empresa do filho do ex-presidente Lula, cuja ordem fora expedida por uma juíza federal de Brasília (DF), no âmbito da chamada Operação Zelotes, que apura corrupção em órgão da Receita Federal.

 

O jornal Folha de S. Paulo, no seu editorial de hoje, correu a dizer que a ordem de busca e apreensão foi emitida por uma juíza com “histórico” que a aproxima das “tendências de esquerda”, portanto, uma decisão proferida por uma pessoa próxima ao horizonte ideológico do Lula e do PT.

 

Sintomaticamente, na edição de ontem, um articulista da mesma Folha de S. Paulo se meteu a traçar o perfil ideológico dessa juíza, destacando que ela “tem afinidades com a esquerda” porque apoiou a instalação da Comissão da Verdade, os organismos de participação social criados pela Dilma, é contra a redução da maioridade penal e a favor da desmilitarização das polícias.

 

Por todas essas razões, segundo a Folha de S. Paulo e seu articulista, o Lula e o PT não têm do que reclamar e não podem dizer que o filho do Lula está sendo vítima de um complô da direita, pois a juíza da Operação Zelotes seria uma quase militante da esquerda.

 

Não creio que seja uma boa estratégia ficar levantando o perfil ideológico ou o histórico de juízes para justificar ou rebater suas decisões. Mas, se é pra fazer isso, então por que a Folha de S. Paulo e seu prestativo articulista não disseram que a tal juíza é irmã do tucano Napoleão Bernardes, prefeito de Blumenau pelo PSDB

 

Sabe por quê

 

Porque a mídia burguesa precisa mesmo publicar o que lhe interessa e esconder o que não atende aos seus interesses e às suas táticas de manipulação da opinião pública. E é exatamente assim que ela explora a bona fide de seus leitores, especialmente aqueles que estão sempre prontos a acreditar que a mídia é livre, confiável e imparcial.

 

Formalmente, não há nenhum problema em que a juíza federal seja irmã do prefeito tucano. Isso não é motivo para a sua suspeição ou impedimento. Mas, já que é pra levantar o histórico político da juíza, o jornal deveria dizer que ela também é muito próxima das “tendências de direita” e tem afinidades, inclusive consanguíneas, com adversários do PT.

 

Essa manipulação praticada cotidianamente pela grande mídia comercial é um desaforo aos seus leitores e ao direito constitucional de informação, e mais, é um verdadeiro desserviço à democracia!

---
Antônio Alberto Machado, membro do Ministério Público do Estado de São Paulo e professor livre docente do Curso de Direito da Unesp/Franca-SP. Seja Companheiro, faça sua doação ao PT de Ribeirão Preto

Comentários

Ainda não há comentários nesta notícia. Seja o primeiro!