Lula à CNN: “Bolsonaro deve sofrer um impeachment”

/ Editor: José Alfredo | Agência Rede PT Ribeirão
Receba nossas notícias pelo Telegram

Arte: Agência PT

Lula à CNN: “Bolsonaro deve sofrer um impeachment”

Em entrevista à emissora americana CNN Internacional, o ex-presidente acusa o líder da extrema direita de negligência na condução da crise do Coronavírus. “Ele cometeu muitos crimes de irresponsabilidade e acho merece ser punido por isso”

Em entrevista à CNN International, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva responsabilizou Jair Bolsonaro pelas mortes de milhares de pessoas no Brasil na pandemia e defendeu que o presidente responda por crime de responsabilidade na condução da crise sanitária.

São 35 pedidos de impeachment no Congresso. Em algum momento o presidente da Câmara [ Rodrigo maia] terá que escolher um para votação”, disse.


A emissora americana diz que Lula continua sendo uma força política relevante no cenário brasileiro.

“Herói da esquerda, o ex-presidente viu o Covid-19 abrir um caminho de morte em todo o Brasil, dizimando uma economia já em dificuldades”, aponta a CNN. “E ele atribui a culpa ao atual presidente, Jair Bolsonaro”.


Em entrevista à CNN por webcam, Lula disse que Bolsonaro merece ser acusado pelo que considera uma conduta “irresponsável” e “negligente” no gerenciamento da crise do Coronavírus, mas também da economia do país, que entrou em colapso. “[Bolsonaro] cometeu muitos crimes de irresponsabilidade e acho que ele já merece ser punido por isso”, disse. Ele descrevendo o líder de extrema-direita como o pior da história do Brasil.


A CNN descreve a gestão de Lula pelo boom econômico, apontando que o governo do presidente do PT ajudou o Brasil a crescer em 2003, chegando a ser a sexta maior economia do mundo até 2012. “Ele também implementou políticas sociais que reduziram significativamente a desigualdade e tiraram mais de 29 milhões de pessoas da pobreza, segundo o Banco Mundial”, aponta a emissora de notícia, uma das mais prestigiadas do mundo.


Crise tripla

Lula lamentou a deterioração econômica e disse que o Coronavírus piorou ainda mais as coisas.

“O Brasil está passando por uma profunda crise de saúde, uma profunda crise econômica e uma crise de irresponsabilidade por parte do Presidente da República”, disse.


A Universidade Johns Hopkins aponta que o Brasil tem, oficialmente, mais de 500 mil casos de Coronavírus, perdendo apenas para os EUA, e quase 30 mil mortos.

“Para o ex-presidente, grande parte do problema foi a resposta tardia do Brasil à pandemia”, afirma a CNN. “Nem o presidente, nem o Ministério da Saúde, inicialmente, viram o Coronavírus como sério”, acusa.
“O Brasil poderia ter evitado o colapso, o Brasil poderia ter preparado máscaras mais cedo, o Brasil poderia ter aprovado uma legislação antes do início da pandemia”, ressalta o ex-presidente.


A CNN observa que, apesar do número crescente de pessoas contaminadas, Bolsonaro minimizou o risco do vírus, juntou-se a comícios anti-bloqueio e contra o isolamento social e entrou em choque com os governadores, pressionando para a reabertura da economia.

“Os governadores se tornaram inimigos, os prefeitos se tornaram inimigos, todos aqueles que defendem que o Brasil trata essa pandemia de forma responsável são considerados inimigos do presidente”, ressalta Lula, que elogia na entrevista os líderes locais de todos os partidos por seu trabalho.


A CNN informa que a crise corroeu o apoio a Bolsonaro, de acordo com pesquisas de opinião recentes. Segundo o Datafolha, 46% dos brasileiros apoiam o impeachment do presidente.


Lula reconhece que a oposição ainda não está unida o suficiente para colocar o impeachment em movimento. Mas ele acredita que é apenas uma questão de tempo.

“Hoje existem 35 pedidos de impeachment no Congresso Nacional”, disse. “[Em algum momento] o presidente da Câmara terá que escolher um dos pedidos para votar”.


Assista à entrevista:


---
Secom - Secretaria de Comunicação do PT de Ribeirão Preto Seja Companheiro, faça sua doação ao PT de Ribeirão Preto

Comentários

Ainda não há comentários nesta notícia. Seja o primeiro!