Machado: Nossa prioridade é acolher, cuidar das pessoas

/ Editor: José Alfredo | Agência Rede PT Ribeirão
Receba nossas notícias pelo Telegram

Foto: Paulo Honório

Machado: Nossa prioridade é acolher, cuidar das pessoas

Em entrevista ao jornal Tribuna Ribeirão, o pré-candidato do PT à prefeitura ribeirão-pretana também falou sobre a pandemia, gestão presente e participativa e compartilhamento com a população sobre decisões de investimentos públicos e políticas de proteção social. Voltaremos com o orçamento participativo, fortalecimento dos conselhos populares e gestão de governo nos bairros

O pré-candidato do PT à prefeitura de Ribeirão Preto, Antônio Alberto Machado, concedeu, recentemente, entrevista ao jornal Tribuna Ribeirão sobre as eleições municipais deste ano.


Machado fez críticas à gestão de Duarte Nogueira diante da pandemia da Covid-19 e disse que Ribeirão Preto tem orçamento suficiente para amparar a população vulnerável.


Efetivação dos direitos básicos das pessoas em geral, sobretudo das mais carentes


O pré-candidato petista disse que foi motivado, fundamentalmente, com o desafio de continuar fazendo na política o que fazia por trinta anos no Ministério Público:

“Lutar pela efetivação dos direitos básicos das pessoas em geral, sobretudo das mais carentes. Ou seja, melhorar a qualidade de vida da população para tornar Ribeirão Preto uma cidade justa, sustentável e participativa – efetivamente democrática e para todos. Me motivou muito, também, o desejo de contribuir para com o debate político neste momento de mui¬tas ameaças à nossa democracia”.


Modo Petista de Governar


Machado salienta que pretende resgatar o legado e o modo petista de governar, com políticas públicas de inclusão e justiça social, colocando as demandas das pessoas, notada¬mente as mais necessitadas, no orçamento do município, sempre com propostas criativas e realistas, factíveis. Ele afirma que o PT irá ampliar a representatividade institucional em Ribeirão Preto: 

“É curioso que, mesmo neste momento de crise da política e dos partidos, mesmo com toda a pancadaria seletiva que o PT sofreu por parte de setores da mídia, do Judiciário e do Ministério Público, mesmo assim, a militância petista em Ribeirão Preto aumentou muito – o número de filiados cresceu sintomaticamente nos últimos dois anos. Com propostas inovadoras e com o legado das gestões petistas bem-sucedidas, aqui e no Brasil todo, vamos voltar à cena política, renovados e confiantes".

Sobre o envelhecimento do sistema, Machado salienta a necessidade da inovação, da reinvenção necessária:

“Vivemos uma crise política que exige autocrítica e reinvenção por parte de todas as agremiações político-partidárias. O nosso sistema envelheceu, apodreceu. E isso não é responsabilidade exclusiva do PT. O partido foi responsabilizado por seus erros e pelos erros dos outros. Foi, como se diz, o bode-expiatório. Queremos reconhecer o que os petistas fizeram de errado, assumir responsabilidades, porém, reafirmando os acertos e avanços das administrações do PT no campo político e socioeconômico”.


Novidade na política


Machado declara que propõe uma nova filosofia de governo, ou seja, um governo para as pessoas, e não exclusivamente para as obras. Que atenda às necessidades fundamentais da população, sobretudo no que diz respeito à saúde, saneamento básico, moradia, transporte público, segurança e educação:

“Todos dizem isso, mas a nossa prioridade é acolher, cuidar das pessoas. Acolher e garantir a dignidade delas”.
“Neste momento de pandemia, vamos reforçar o sistema de saúde, valorizando nossos servidores e demais serviços públicos, para atender as necessidades básicas dos vulneráveis”.
“Com uma gestão presente e participativa, vamos compartilhar com a população as decisões sobre investimentos públicos e políticas de proteção social”.
“Voltaremos com o orçamento participativo, fortalecimento dos conselhos populares e gestão de governo nos bairros”.


Crítica à administração Duarte Nogueira PSDB


O pré-candidato petista afirma que a atual administração tem vários problemas, tanto administrativos quanto políticos. Pecou muito no campo da zeladoria, deixou a cidade num estado de abandono e desconforto:

“Há também um grave problema de endividamento que o atual prefeito deixará para a próxima administração. Mesmo com dinheiro do PAC 2 para fazer as obras necessárias, o prefeito mais que dobrou a dívida da administração anterior – de R$ 300 para R$ 700 milhões”.

No campo político, Machado denuncia que a administração faz opção por obras e não por gente, revelando que o seu compromisso não é com as pessoas e classes populares, que mais necessitam do Estado: 

“Além do que, é uma administração muito tecnocrática, distanciada do povo, por isso, autoritária e elitista”.


Resgatar o legado do PT


Machado faz uma interessante análise sobre a última eleição presidencial do candidato do PT. Fernando Haddad teve, em Ribeirão Preto, 82 mil votos no segundo turno. Ou seja, no pior momento do PT, que estava sob pancadaria, e no melhor momento do Bolsonaro, da Lava Jato e da coalizão midiática que o elegeu, quase cem mil pessoas na cidade escolheram o PT. 

“Agora, quando se constata as muitas manobras da Lava Jato, as injustas perseguições ao Partido dos Trabalhadores, e o fracasso do governo Bolsonaro, vamos buscar o voto daqueles que não abandonaram o partido no pior momento, e também o daqueles que se decepcionaram com as enganosas promessas dos falsos heróis, fabricados para iludir o povo”.
“Contamos ainda com os democratas e os progressistas em geral, independentemente da posição que ocupam no espectro ideológico”.


Campanha Virtual


Para o pré-candidato à prefeitura de Ribeirão Preto, ninguém estava preparado para enfrentar um cenário eleitoral com crise sanitária, econômica e política ao mesmo tempo:

“Todos os partidos terão de mudar suas estratégias de campanha que, a meu ver, se dará quase toda ela no âmbito digital, mesmo com o adiamento das eleições para dezembro”. 
“O PT está se preparando para essa realidade; mas vamos continuar próximos das nossas bases, da nossa militância – seja nas ruas seja nas redes. Nossa campanha será pobre, mas será forte e limpa, sob todos os aspectos”.

Sobre a polarização na campanha, Machado afirma estar preparado para enfrentar, sem ódio, sem diversionismo, apenas com argumentos e racionalidade. 

“Queremos sobretudo fazer uma campanha propositiva para Ribeirão Preto, enfrentando os nossos problemas e demandas locais”.
“A política nacional, naturalmente, virá à tona. Mas a nossa intenção não é embarcar no Fla-Flu, é propor as soluções político-administrativas que real¬mente interessam, de perto, ao nosso povo”.


Desgoverno Bolsonaro


Sobre o desgoverno do presidente Jair Bolsonaro, Machado é categórico:

“Não desceu do palanque; não governa e estimula o diversionismo na sociedade. Por exemplo, no momento em que estamos em uma verdadeira guerra contra o Coronavírus, Bolsonaro resolve fazer guerra aos governadores, prefeitos, Supremo Tribunal Federal, Congresso Nacional, a Ciência entre outros setores e instituições”.

Para Machado, Bolsonaro está em guerra contra todo o mundo, menos contra o vírus. Já trocou de ministro da Saúde duas vezes, promove aglomerações públicas que disseminam a doença, e insiste na cloroquina, um fármaco que a Organização Mundial de Saúde não recomenda para o tratamento da covid-19 e a França até já proibiu seu uso contra essa doença.

“Bolsonaro vai sempre na contramão, levantando polêmicas e atiçando o ódio. Não consegue negociar com o Congresso e quer impor um governo autoritário”.

Segundo o pré-candidato petista, é por essas e outras que mais de 50% da população já avaliam seu governo como ruim ou péssimo, e o percentual de seus apoiadores caiu para menos de 30%. 

“Não apenas eu, mas as pesquisas revelam que a maioria dos brasileiros desaprova o governo Bolsonaro”, finalizou.


Com informações do jornal Tribuna Ribeirão.


---
SeCom - Secretaria de Comunicação do PT de Ribeirão Preto Seja Companheiro, faça sua doação ao PT de Ribeirão Preto

Comentários

Ainda não há comentários nesta notícia. Seja o primeiro!