A desordem no governo Bolsonaro, a falta de projeto de país e a suspeição do Moro. Haddad, hoje, na live do Machado

/ Editor: José Alfredo | Agência Rede PT Ribeirão
Receba nossas notícias pelo Telegram

Foto: Arquivo Rede PT

A desordem no governo Bolsonaro, a falta de projeto de país e a suspeição do Moro. Haddad, hoje, na live do Machado

O professor Fernando Haddad, conversa ao vivo, hoje, às 19 horas, com Antônio Alberto Machado, pré-candidato a prefeito de Ribeirão Preto

Intitulado "Lives com Machado", programa é transmitido nas redes sociais do pré-candidato a prefeito de Ribeirão Preto e também na plataforma da Rede PT; hoje, quarta-feira (12), às 19h00, o convidado é o professor Fernando Haddad. O assunto será sobre a desordem no governo Bolsonaro, a falta de projeto de país e a suspeição do Moro em meio à crise sanitária que o Brasil enfrenta. Haddad, indignado, critica:

“Estamos sem ministro da Saúde, sem equipe econômica, sem rumo”  

 

Conheça um pouco sobre ele:

Fernando Haddad, cresceu em São Paulo. Em 1981, ingressou na Faculdade de Direito da USP (Universidade de São Paulo). Enquanto estudava, também trabalhava como vendedor na loja de tecidos recém-aberta pelo pai na rua 25 de Março, no centro da capital paulista.

 

Foi durante a faculdade que teve início a atuação política de Haddad, quando ingressou no Centro Acadêmico 11 de Agosto, formado por alunos da Faculdade de Direito.

 

Encerrada a graduação, foi analista de investimento do Unibanco e consultor da Fipe (Fundação de Pesquisas Econômicas). Fez mestrado em economia política e doutorado em filosofia. Em 1997, tornou-se professor de teoria política na USP. Licenciou-se da sala de aula em 2003, voltou em 2015, e hoje está licenciado de novo.

 

A primeira função pública de Haddad foi na prefeitura de São Paulo, em 2001, quando chefiou o gabinete da Secretaria de Finanças e Desenvolvimento Econômico na gestão de Marta Suplicy (2001-2004).

 

Em 2003, o petista migrou para o governo do então recém-eleito presidente Lula, como assessor especial do Ministério do Planejamento, sob comando de Guido Mantega. Ali participou da formatação da Lei das PPPs (Parcerias Público-Privadas), modalidade de concessão de serviços públicos para a iniciativa privada que passaria a ser adotada em especial para a execução de obras de infraestrutura.

 

Em 2004, Haddad foi para o Ministério da Educação, onde se tornou secretário executivo na gestão de Tarso Genro. Em 2005, Tarso Genro deixou o MEC para assumir a presidência do PT, sendo substituído por Haddad.

 

Como ministro, Haddad deu continuidade a projetos que se tornariam marcas da gestão petista. Implementou o ProUni, programa de concessão de bolsas universitárias a estudantes de baixa renda, criado em 2004; ampliou o Fies (Financiamento ao Estudante do Ensino Superior); criou o Fundeb (Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica); e reformulou o Enem (Exame Nacional de Ensino Médio) em 2009.

 

A passagem pelo MEC serviu para Lula apostar em Haddad como candidato do PT para a Prefeitura de São Paulo nas eleições de 2012 — ano em que Haddad deixou o ministério.

 

Em 2010, Haddad foi eleito prefeito da cidade de São Paulo no segundo turno. Ele derrotou o ex-governador José Serra (PSDB), com 55,5% dos votos válidos.

 

Em sua gestão, deu ênfase a obras viárias, como a criação de faixas exclusivas de ônibus, a implantação de ciclovias e a redução dos limites de velocidade em vias da capital. No social, teve destaque o Braços Abertos, programa de atendimento a usuários de drogas. Outra marca foi a criação da Controladoria Geral do Município, que revelou o esquema de corrupção conhecido como a “máfia do ISS”.

 

Em 2016, ano de intensos protestos contra o PT e ano do impeachment de Dilma, Haddad não conseguiu a reeleição.

 

Haddad filiou-se ao PT em 1983, seu único partido desde então. Embora seja um antigo integrante do partido, sua atuação em eleições ocorreu mais por força da conjuntura política do que por vontade própria.

 

A escolha de Lula para que ele concorresse à prefeitura paulistana em 2012 fiava-se na leitura de que o PT precisava se renovar, aos olhos do eleitor, após o desgaste público causado pelo mensalão.

 

Cálculo parecido levou novamente à escolha de Haddad para ser o vice de Lula e assumir a chapa presidencial quando o ex-presidente fosse barrado - desfecho já esperado pelo partido.

 

O PT atualmente é classificado como uma legenda representante da centro-esquerda. Em sua origem, o partido surgiu associado a ideias de um “socialismo democrático”, tentando se contrapor a regimes socialistas autoritários.

 

Haddad define-se como socialista que tem como compromissos mais importantes a defesa da igualdade social e a recusa de práticas autoritárias, além de estudioso da teoria marxista (inspirada nas ideias do filósofo alemão Karl Marx.

 

O Programa:

As lives com Machado são transmitidas nas redes sociais da Rede PT (Dialoga Ribeirão 2020) e na do pré-candidato a prefeito em 2020 pelo PT Antônio Alberto Machado. Cada edição, terá um ou mais convidados para falar sobre suas posições, compartilhar experiências e discutir políticas públicas e sobre o cenário político de Ribeirão Preto.

 

O objetivo do bate-papo, de acordo com Machado, é promover um diálogo com os mais variados representantes da sociedade nacional e local.

 

Participe desse diálogo conosco, deixe sua pergunta nos comentários:



#livedoMachado

 

---
SeCom - Secretaria de Comunicação do PT de Ribeirão Preto Seja Companheiro, faça sua doação ao PT de Ribeirão Preto

Comentários (1)

Elsa Rossi

Mais uma vez a discussão na live falando com Machado foi excelente . Ricardo Jimenez , como sempre brilhante em seus posicionamentos.Vejo que este trabalho é capaz de levar até à população de Ribeirão as políticas públicas que o hoje candidato e amanhã ,com certeza , será o prefeito desta cidade esta propondo . Com todas as dificuldades que a pandemia impôs , a campanha caminha a todo vapor. O que importa é mostrar ao povo de Ribeirão que é possível sonhar com uma vida diferente que seja melhor do que a que hoje nos é imposta.Vamos em frente , até à vitória.