Fábio Sardinha: Patrimônio da seriedade em risco

fotos: divulgação

Fábio Sardinha: Patrimônio da seriedade em risco

"...Preservação do patrimônio não pode servir para manipulação eleitoral. Quem se utiliza desse expediente se iguala ao que há de pior da política, que há muito tempo se aproveita da desinformação e da manipulação para fazer valer apenas os seus interesses. Basta de hipocrisia!..."

Andei de ônibus desde os meus 8 anos saindo do meu bairro Simioni até o Sumarezinho, na Escola Santos Dumont, e parei de andar de ônibus quando fiz 19 anos e comprei uma moto. Sei das dificuldades em ficar no ponto horas a fio com esse calor de Ribeirão Preto sem proteção, ou mesmo num mísero banco para sentar. Já peguei muita chuva e sol no lombo esperando ônibus em nossa cidade, inclusive em frente à Catedral.

 

 

Depois de formado em História, fiz parte do Conpacc de nossa cidade, que define a política de tombamento, preservação e história e o registro dos bens tombados de nossa cidade. Foi uma oportunidade muita rica de aprendizado e conhecimento sobre como funciona também o Condephaat, órgão sério que carece, como tudo no Estado, de melhor estrutura, mas é como se fosse o Compacc em nível estadual.

 

Desde que estudei no Otoniel Mota, frequento a praça em frente à Catedral e inclusive sou cliente de algumas barracas que ali vendem artesanatos e alimentos e, recentemente aproveitando essa polêmica, conversei com alguns que ali pegam ônibus e também com proprietários de barracas, que, para minha surpresa, são favoráveis à construção da plataforma de embarque que dá mais condições às pessoas que ali precisam pegar ônibus.

 

E diante do laudo do Condephaat, que deixa claro que pode se construir a plataforma, que não afeta as estruturas da igreja, por que alguns, que inclusive tem interesses eleitorais e individuais, que querem fazer um calçadão naquele local, insistem em manipular a fé e a opinião da população contra essa construção como se a mesma afetasse a igreja?

 

Esse argumento não se sustenta tecnicamente, sendo assim só sobra o interesse político, que no caso não é o do bem-estar da população e, pelo visto, apenas a manipulação visando outros interesses. Preservação do patrimônio não pode servir para manipulação eleitoral. Quem se utiliza desse expediente se iguala ao que há de pior da política, que há muito tempo se aproveita da desinformação e da manipulação para fazer valer apenas os seus interesses. Basta de hipocrisia!

---
Fábio Sardinha é professor de História e Diretor Estadual Apeoesp Seja Companheiro, faça sua doação ao PT de Ribeirão Preto

Comentários

Ainda não há comentários nesta notícia. Seja o primeiro!