E depois...

Dmytro Tokar

E depois...

Estamos passando momentos nunca esperados pelas gerações viventes.

O fato de estarmos reclusos, nos oferece a oportunidade de estreitar o relacionamento com nossos familiares e ao mesmo tempo sentir quão importante são nossos amigos e o convívio social, ainda aprender a dosar as coisas.

Além do que nos obriga a treinar a paciência, a tolerância e a refletir sobre a vida que levamos e queremos para o futuro.

Ora, se isso acontece no âmbito individual e familiar, creio que também seja hora de repensar nossa sociedade, em nível nacional e internacional.

Embora quase não percebamos, por estarmos atentos aos afazeres em busca de subsistência e segurança, vivemos numa roda viva cujo objetivo principal é o ganho, o lucro, que é o deus dessa lógica.

O modelo econômico tem como foco a produção de bens na sua grande maioria supérfluos, mas que proporciona grandes lucros. Para isso estimula um consumismo desenfreado quando cria imagens ilusórias em que mostram a alegria na fisionomia das pessoas. A busca da felicidade faz com que busquemos adquirir coisas.

Podemos dizer que a sociedade cai no conto do vigário (o sistema), e não percebe que para ser feliz temos que viver a vida com simplicidade e pouco precisamos para isso. Portanto acabamos ficando escravos e dependentes da ilusão.

Não bastassem essas coisas, há ainda o problema maior que é o uso e abuso das riquezas terrestres como se elas nunca se esgotassem e que seguindo dessa maneira num futuro próximo dificultará ainda mais a vida na Terra.

Daí, que esta pandemia nos alerta para construirmos uma nova ordem mundial que tenha como supremos objetivos a vida do planeta e do ser humano de forma global. O resultado depende de nossa ação.

---
Atílio José Rossi é um militante assumidamente cristão. Dirigente histórico do Partido dos Trabalhadores de Ribeirão Preto Seja Companheiro, faça sua doação ao PT de Ribeirão Preto

Comentários

Ainda não há comentários nesta notícia. Seja o primeiro!