Siga o dinheiro

foto: repdrocução

Siga o dinheiro

Ninguém duvida que a mídia brasileira é o maior aparelho de propaganda política da burguesia. E nem poderia ser diferente, pois, os órgãos de comunicação de massa no país são, eles próprios, corporações burguesas, isto é, empresas privadas com fins lucrativos.

 

Assim, não é de estranhar que a mídia empresarial faça uma ferrenha oposição ao governo democrático-popular do Partido dos Trabalhadores, combatendo as coligações partidárias de esquerda e suas lideranças.

 

Nos últimos tempos, porém, a mídia nativa não apenas tem combatido o projeto de governo liderado pelo PT, como passou a insuflar um ódio explícito contra o governo federal e os petistas.

 

As matérias jornalísticas, tanto na televisão quanto nos jornais e revistas, estão visivelmente mais agressivas, atacando furiosamente as políticas de governo e também a honra dos governantes e ex-governantes do PT.

 

Parece até que a mídia burguesa está desesperada, à beira de um ataque de nervos, querendo arrancar o Partido dos Trabalhadores do Palácio do Planalto de qualquer jeito, nem que seja na base do golpe.

 

É perfeitamente compreensível que a mídia conservadora, por razões ideológicas, faça oposição a um governo com origem popular, fortemente amparado pelos movimentos sociais e pelo movimento sindical.

 

Porém, o que não é compreensível é toda essa pressa, esse desespero e esse ódio incontido por parte da grande mídia que não vê a hora de defenestrar o PT e os petistas, sob o argumento de que são bandidos, corruptos, canalhas e outros adjetivos similares.

 

Diz a lenda que no caso Watergate, cujo escândalo nos anos 70 derrubou o presidente Richard Nixon dos EUA, um diretor do FBI teria aconselhado o jornalista que pretendia desvendar esse caso de corrupção política com a seguinte frase: “siga o dinheiro”.

 

Para desvendar esse incompreensível ódio da nossa mídia empresarial contra o PT e os governos do PT, talvez fosse o caso de acatar o conselho do policial norte-americano e “seguir também o dinheiro”.

 

E há até uma pista: no primeiro ano do Governo Lula, o maior grupo de mídia do país, a Rede Globo, embolsou 59% dos gastos federais com publicidade; atualmente, o poderoso Grupo Globo da família Marinho embolsa apenas 36% desses gastos – quase a metade.

Outra pista: a revista Veja, que em 2009 chegou a embolsar R$ 43,7 milhões do total de verbas federais destinadas à propaganda institucional do governo, em 2014 embolsou apenas R$ 19,9 milhões – menos da metade.

 

Mais uma pista: nos anos de 2003-2014 os grandes jornalões (O GloboFolha de S. Paulo, Estadão e Valor Econômico) embolsaram mais de R$ 730 milhões com a publicidade dos governos petistas; hoje, as páginas desses jornais só têm publicidade de empresa privada.

 

É, comandante, se você quer saber mesmo as causas desse “acesso de moralidade” da mídia burguesa, se quer entender realmente por que a mídia nativa anda tão indignada com a corrupção do PT, faça como o policial norte-americano: siga o dinheiro.

---
Antônio Alberto Machado, membro do Ministério Público do Estado de São Paulo e professor livre docente do Curso de Direito da Unesp/Franca-SP. Seja Companheiro, faça sua doação ao PT de Ribeirão Preto

Comentários

Ainda não há comentários nesta notícia. Seja o primeiro!