Antônio Alberto: Os reféns da mídia

Antônio Alberto: Os reféns da mídia

E essa agora da Polícia Federal, hem?, que encerrou a chamada Operação Triplo X sobre a propriedade do famoso apartamento triplex no Guarujá e não indiciou nem o Lula nem ninguém da família dele? É estranho, porque a Globo, a Veja, a Folha de S. Paulo, a Istoé e a grande mídia em geral já davam como certo que esse apartamento era do Lula, e que ele era produto de propina.

 

Já davam isso como tão certo que três promotores de justiça do Ministério Público de São Paulo chegaram até a oferecer uma denúncia criminal contra o Lula e a mulher dele por causa desse tal apartamento. E, não contentes com a denúncia, os promotores ainda formularam um pedido de prisão preventiva do Lula sem que houvesse qualquer fundamento jurídico para essa prisão.

 

A revista Veja aproveitou essa denúncia infundada e esse esdrúxulo pedido de prisão provisória do ex-presidente e fez um cavalo de batalha, com matéria de capa, atribuindo ruidosamente a propriedade do malfadado apartamento ao Lula e sua família, vinculando essa propriedade ao recebimento de propina, e convencendo todo mundo de que os donos do imóvel tinham praticado também o crime hediondo de ocultação de patrimônio.

 

Agora vem a Polícia Federal, descobre quem são os verdadeiros donos do apartamento, indicia esse donos que são funcionários da empresa panamenha Mossack Fonseca, especializada na administração de offshores e na prática de crimes de lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e outras fraudes, cujos indiciados não têm absolutamente nada a ver com o Lula, nem com alguém de sua família.

 

Mas essa notícia de que a Polícia Federal encontrou os verdadeiros donos do tal triplex do Guarujá não mereceu nenhum destaque na mídia, nem foi objeto de nenhum artigo por parte daqueles capachos da burguesia, puxa-sacos dos barões da mídia, que andam escrevendo muita bobagem nos jornais e enganando o povo como se engana uma criança, sem nenhum respeito pela inteligência média de seus leitores.

 

Como é que ficam agora muitos leitores da Veja que tinham absoluta certeza de que o apartamento do Guarujá era do Lula? Quem é que vai indenizar esses leitores que fizeram papel de trouxa repetindo por aí as mentiras que a Veja inventa e propaga impunemente? E como é que fica a reputação do Lula que cansou de negar a propriedade desse apartamento?

 

Falta ainda esclarecer a propriedade daquela espelunca daquele sítio em Atibaia que continuam dizendo que é do Lula. Outro dia um  delator qualquer – são tantos – disse que a reforma do tal sítio era acompanhada por seus verdadeiros donos, ou seja, aqueles que constam da escritura, e não pelo Lula. Mas essa afirmação não teve também nenhuma repercussão na mídia, pois o mais importante é deixar correr a versão (ou boato) de que o sítio é do Lula, e é produto de propina.

 

Ninguém está aqui defendendo o Lula, não. O Lula já tem os seus advogados que o defendem e que foram reclamar até na ONU, porque aqui dentro o Poder Judiciário também está emparedado pela mídia golpista que não hesita em destruir reputações, inclusive a reputação de juízes que, eventualmente, ousem decidir contra os interesses do baronato midiático.

 

Já não é por acaso que um ministro do Superior Tribunal de Justiça, João Otávio Noronha, disse publicamente por esses dias, sem cerimônia e sem meias-palavras, num evento oficial da própria Justiça Federal em Brasília, que a magistratura do Brasil está “refém da mídia”.

 

Se isso for verdade, estamos bem-arranjados!

---
Antônio Alberto Machado, membro do Ministério Público do Estado de São Paulo e professor livre docente do Curso de Direito da Unesp/Franca-SP. Seja Companheiro, faça sua doação ao PT de Ribeirão Preto

Comentários

Ainda não há comentários nesta notícia. Seja o primeiro!