Antônio Alberto Machado: A blindagem do tucano

foto: reprodução/twitter

Antônio Alberto Machado: A blindagem do tucano

O doleiro Alberto Youssef disse anteontem (25.08.15) na CPI da Petrobras que o presidente do PSDB, ex-governador de Minas Gerais, candidato à presidência da república pelo partido dos tucanos e hoje senador Aécio Neves recebia propinas de Furnas, empresa estatal de economia mista, subsidiária da Eletrobras.

 

E parece que o tal Alberto Youssef é uma pessoa absolutamente confiável. Parece que a sua palavra e os seus depoimentos ou delações têm uma enorme credibilidade, pois muito petista foi parar atrás das grades, e outros tantos estão sendo investigados e acusados na justiça, exatamente a partir das delações desse doleiro.

 

Mas, o curioso é que, apesar de toda essa credibilidade do delator e da importância do político por ele acusado de corrupção na CPI, a mídia nativa não deu muita bola para o que disse Alberto Youssef. De fato, não houve nenhuma manchete indignada pedindo a apuração do caso de Furnas, não houve nenhum comentarista exaltado pedindo a prisão do tucano, não houve nenhuma chamada especial no noticiário da televisão…

 

Se o doleiro houvesse acusado algum político desse quilate, porém, filiado ao Partido dos Trabalhadores ou a qualquer outro partido de esquerda, a uma hora dessas o circo já estaria montado, com todo aquele escarcéu midiático que conhecemos, e com o “reeespeitável público” todo ouriçado outra vez.

 

Aposto neste roteiro: (1) a notícia bombástica seria veiculada no mesmo dia pelo Jornal Nacional e replicada logo depois no Jornal da Globo; (2) no dia seguinte, as manchetes de primeira página dos jornais Folha de S. Paulo, O Globo e O Estado de São Paulo confirmariam as declarações do doleiro; (3) e no final de semana tais declarações seriam matéria de capa das revistas Veja e Época – tudo com direito a editoriais e comentários cheios de pose e indignação.

 

Como o político acusado por Alberto Youssef é da direita, e ainda pode vir a ser o candidato dos “barões da mídia” nas eleições de 2018, a afirmação do doleiro não produziu nenhum estardalhaço. Ficou o dito pelo não dito, e lá se vai o tucaninho todo pimpão, leve e solto, como se a coisa não fosse com ele, completamente “blindado” pelos “donos da opinião pública” e seus capachos.

 

Até aí, tudo é compreensível, está tudo certo. Ou seja, a mídia conservadora e golpista faz o seu papel, o senador Aécio Neves faz “cara de paisagem”, vai saindo “de fininho” como se nada tivesse acontecido, e as investigações prosseguem naturalmente contra os investigados de sempre.

 

O que não dá pra entender são os “ouvidos de mercador” e o silêncio sintomático (ou seria conivente?) daquela “turma do bate panela” que até ontem queria passar o país a limpo de qualquer jeito, nem que fosse na base do canhão e do coturno.

 

De qualquer maneira, dizem que o senador Aécio Neves está em apuros, pois os “paladinos da moralidade”, que andavam aí pelas ruas a exigir decência e honestidade na política, ainda juram por Deus que pretendem, sinceramente, acabar com TODA roubalheira no país, varrer a sujeira de TODOS os partidos, exterminar TODO tipo de corrupção e prender TODOS os corruptos.

 

Ah tá!

 

E eu nasci ontem, lá na terra da “velhinha de Taubaté”.

---
Antônio Alberto Machado, membro do Ministério Público do Estado de São Paulo e professor livre docente do Curso de Direito da Unesp/Franca-SP. Seja Companheiro, faça sua doação ao PT de Ribeirão Preto

Comentários

Ainda não há comentários nesta notícia. Seja o primeiro!