3ª Conferência Municipal de Habitação discutiu a formação de uma política habitacional apropriada para Ribeirão Preto

/ Por Agência Rede PT Ribeirão

foto: Carlos Natal/PMRP

3ª Conferência Municipal de Habitação discutiu a formação de uma política habitacional apropriada para Ribeirão Preto

Intenção da prefeita Dárcy Vera é de que todos os segmentos ligados ao setor participem das decisões

Cerca de 300 pessoas acompanharam a 3ª Conferência Municipal de Habitação, realizada na sexta-feira e no sábado, nas dependências da Câmara de Vereadores, sob organização da Cohab de Ribeirão Preto. A abertura, na sexta-feira, contou com a presença da prefeita Dárcy Vera, que reiterou sua intenção de investir em habitação popular, notadamente para a população com renda até três salários mínimos.

 

Ela aproveitou a oportunidade para fazer uma breve retrospectiva dos projetos nessa área, citando inclusive a urbanização da Favela das Mangueiras, que contará com recursos do Governo do Estado via CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano), o cadastramento do município no Programa Minha Casa Minha Vida, e a construção da Vila Dignidade, um conjunto direcionado para idosos. “Sei exatamente o que é esperar pela conquista da casa própria quando se tem poucos recursos e, por isso, vou direcionar minha política habitacional para esse segmento da população. Quero, também, que a população tenha representatividade e opine sobre as diretrizes a serem adotadas, daí a importância do Conselho Municipal de Moradia Popular”, ressaltou a prefeita.

 

A solenidade de abertura contou com as presenças do presidente da Cohab-RP, Rodrigo Arenas; do juiz João Gandini, idealizador do programa “Moradia Legal”, que deu origem à urbanização da favela do Monte Alegre; do deputado estadual Baleia Rossi, do vereador Nicanor Lopes (representando a Câmara Municipal), além de representantes da Defensoria Pública, Sinduscon (Sindicato da Indústria da Construção Civil e Fabarp (Federação das Associações de Bairro de Ribeirão Preto), entre outros.

 

Os trabalhos tiveram continuidade no sábado com mesas redondas tendo à frente autoridades ligadas ao setor da habitação como o representante do Ministério das Cidades (Secretaria Nacional da Habitação), Cid Blanco, o juiz João Gandini e a pesquisadora Vera Blat, que apresentou uma pesquisa sobre os indicadores socioambientais dos assentamentos precários.

 

Ao final houve a eleição dos 11 titulares e 11 suplentes que vão representar a sociedade civil no Conselho Municipal Moradia Popular. Outros 11 titulares e seus suplentes serão indicados como representantes do poder público. Houve também a definição de algumas diretrizes para a formação de uma política eficaz de habitação. Entre essas diretrizes estão a criação de uma Secretaria Municipal de Habitação e a priorização ao atendimento de famílias em situação de vulnerabilidade social.

---
Rede PT Ribeirão, com informações da PMRP Seja Companheiro, faça sua doação ao PT de Ribeirão Preto

Comentários

Ainda não há comentários nesta notícia. Seja o primeiro!