PT quer voltar a ser protagonista em RP

/ Por Agência Rede PT Ribeirão
PT quer voltar a ser protagonista em RP

O advogado Jorge Roque Souza é o novo presidente do diretório do Partido dos Trabalhadores em Ribeirão Preto. Com um currículo que inclui atividades como a de ex-dirigente estudantil, coordenador-geral do dire­tório central dos Estudantes da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) ele também é formado em ciências sociais por aquela universidade, com especia­lização em ciências políticas.

 

Entre as missões que Jorge Roque terá pela frente, está a de trabalhar para montar uma chapa de candi­datos competitiva nas eleições municipais do próximo ano. E assim, tentar colocar a legenda como uma das protagonistas no cenário eleitoral da cidade, depois de perder espaço e ver suas principais lideranças nacionais – algumas de Ribeirão Preto -, acusadas de corrupção. O nome de Jorge Roque é um dos cotados pelo PT para disputar a próxima eleição para prefeito da cidade.


Tribuna Ribeirão – Como o senhor analisa a situação do Partido dos Traba­lhadores em Ribeirão Preto?

Jorge Roque – O PT sofreu e tem so­frido um ataque feroz das elites conserva­doras e reacionárias do país que culminou com o golpe parlamentar contra a presi­dente Dilma Rousseff e a condenação sem provas (fato internacionalmente reconhe­cido por diversos juristas) do presidente Lula. Em Ribeirão Preto, além das caracte­rísticas da cidade, o PT sofreu com o caso Palocci, que foi o prefeito que terminou o seu mandato com os maiores índices de aprovação. Mas que, recentemente, agiu de forma vergonhosa, pressionado pela tortura da prisão preventiva.

 

Ainda assim, o PT se manteve, nacio­nalmente e em Ribeirão Preto, como o partido com os maiores percentuais de preferência do eleitorado. A razão primor­dial para isso é que ele se tornou o partido do povo brasileiro, tal como os peronistas se tornaram o partido do povo argentino. O PT está profundamente enraizado nas lutas populares porque, enquanto gover­no, desenvolveu atenção inédita aos se­tores menos favorecidos do país. Além disso, esboçou um projeto de desenvolvi­mento nacional, no qual as compras go­vernamentais, a distribuição de renda, as políticas sociais e a política educacional (especialmente à relativa ao ensino supe­rior) cumpriram papel decisivo. Em ou­tras palavras, o PT deixou um legado.

 

Qual é este legado?

Jorge Roque – O povo brasileiro não esqueceu as realizações sociais e o com­bate a pobreza e a desigualdade social que o partido implementou. Os setores mais conscientes de nossa sociedade – estudan­tes, professores, a intelectualidade e os diversos movimentos sociais – compreen­dem que o PT é o principal instrumento de modernização da sociedade brasileira.
Não por acaso, o partido tem se rein­ventado diante da realidade desastro­sa pela qual o país passa. Cada vez mais jovens se filiam ao partido, bem como representantes de movimentos sociais, membros esclarecidos das camadas mé­dias e trabalhadores.

 

Em Ribeirão, apesar das condicio­nantes que já mencionamos, se observa o mesmo movimento. Assim, o partido tem se renovado, tal como os peronistas fizeram na Argentina. E, certamente, por todas essas razões, pelo fato de somente o PT poder apresentar uma saída para a profunda crise em que nos encontramos o partido também em Ribeirão Preto volta­rá a ser protagonista.

 

A saída da cadeia do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pode ajudar o partido? De que maneira?

Jorge Roque – A soltura do presidente Lula fortalecerá o partido e toda oposição ao governo do presidente Jair Bolsonaro. É preciso recordar que Lula só não é pre­sidente porque foi tirado ilegitimamente do jogo. Mas o povo brasileiro e os setores avançados da sociedade reconhecem em Lula sua principal liderança. Assim, a li­berdade dele tende a facilitar inclusive um entendimento com os partidos progressis­tas do país.

 

A saída de Lula fornece uma alternati­va à sociedade à destruição de direitos, de empregos, ao autoritarismo e a submissão aos Estados Unidos pelo governo Bolso­naro. Lula é a antítese de tudo isso. Não por acaso, Bolsonaro ameaçou aplicar a famigerada Lei de Segurança Nacional contra ele e o senador Major Olímpio, li­gado ao presidente ter pedido a sua prisão.

 

Lula está sendo acusado pela grande imprensa de estar radicalizando o proces­so político. Mas, quem está verdadeira­mente fazendo isso? Quem faz uma legí­tima discussão com a sociedade ou quem quer prender os seus opositores? No Brasil de hoje vivemos uma completa inversão: autoritários disfarçados de democratas, entreguistas com a roupagem de naciona­listas, corruptos puritanos e uma série de outros exemplos. É ridículo colocar Lula como equivalente de Bolsonaro com si­nal trocado. Lula já governou e sabemos como o fez. Mas aqui existe outra inver­são: a mentira sistemática apresentada como verdade.

 


 

Depois de ser protagonista, o PT pas­sou a ser coadjuvante no cenário político nacional e local. Como reverter isso?

Jorge Roque – Nacionalmente, o PT é ainda protagonista: elegeu a maior ban­cada para a Câmara dos Deputados, fez diversos governadores, quase ganhou as últimas presidenciais e em condições muito desfavoráveis. Em Ribeirão Preto, a entrada de novos quadros, a renovação de sua direção, a reaproximação com os movimentos sociais e uma linha política adequada reconduzirão o Partido ao seu merecido lugar: ser o representante do campo progressista da cidade. Apresen­taremos nas próximas eleições um pro­grama inovador de desenvolvimento para Ribeirão Preto.

 

Especialistas dizem que o PT precisa de lideranças com sangue novo. O se­nhor é um deles?

Jorge Roque – A velha guarda do par­tido possui muitos quadros valorosos, in­clusive diversos lutares que enfrentaram a ditadura militar. A renovação de quadros é uma exigência de todos os partidos polí­ticos. Felizmente, o PT é um dos partidos que mais renova, justamente em razão de seus vínculos com os setores mais cons­cientes da sociedade.

 

Em Ribeirão Preto o partido terá candidato a prefeito?

Jorge Roque – O PT terá candidato a prefeito, decisão tomada no último pro­cesso eleitoral do partido. Teremos candi­dato com um programa inovador e que­remos construir em Ribeirão uma frente com os partidos de esquerda e os movi­mentos sociais para que possamos pautar a realidade política de Ribeirão.

 

Ribeirão é hoje uma cidade sem pro­jetos, que retrocede e que precisa de um projeto diferente, socialmente mais justo e que construa caminhos para o desenvolvi­mento econômico da cidade.

 

O Partido acredita que aumentará sua bancada na Câmara de Vereadores nas próximas eleições?

Jorge Roque – Hoje, temos um vere­ador, o Dr. Jorge Parada. Pretendemos aumentar nossa bancada e já temos uma chapa completa para estarmos apresen­tando à sociedade.

 

Quantos membros o PT em Ribeirão Preto possui e como atrair novos filia­dos?

Jorge Roque – O PT de Ribeirão Preto possui mais de cinco mil filiados e acredi­tamos que com uma linha política justa e uma prática condizente com tal linha au­mentaremos ainda mais esse número.

 

Que avaliação o senhor faz da atual administração municipal?

Jorge Roque – É uma prefeitura que aplica o abc neoliberal na cidade: cortes e mais cortes, retirada de diretos dos ser­vidores, nada de projetos que levem ao desenvolvimento econômico de Ribeirão. Além disso, Nogueira fez grandes em­préstimos e agora apresenta obras – como todo o bom político tradicional – das quais muitas são do Programa de Acelera­ção do Crescimento II (PAC) da ex-presi­dente Dilma.

 

Existe a possibilidade de Lula visitar Ribeirão Preto?

Jorge Roque – Esperamos que Lula possa visitar Ribeirão Preto em breve.

---
Redação Jornal Tribuna Ribeirão
Receba nossas notícias pelo Telegram Seja Companheiro, faça sua doação ao PT de Ribeirão Preto

Comentários (1)

Dovilio Belentani

Foi uma boa entrevista, respondeu à todas as perguntas, e fez boa análise sobre o PT.