Jornalista Galeno Amorim é agredido por PM em reintegração de posse

/ Por Agência Rede PT Ribeirão

fotos e vídeo: Filipe Peres

Jornalista Galeno Amorim é agredido por PM em reintegração de posse

Também coordenador do Programa de Governo Participativo (PGP) do PT, Galeno foi detido de forma coercitiva, algemado e levado para o Plantão Policial quando tentava registrar jornalisticamente a ocupação da Estação Experimental de Zootecnia, de Ribeirão Preto, por integrantes do MST

O jornalista Galeno Amorim foi agredido e algemado, de maneira truculenta, pelo major Paulo Sérgio Fabbris, que é coordenador operacional do 51º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPMI), em 16 de julho, quando tentava cobrir, para o Blog do Galeno Ribeirão, a ocupação da Estação Experimental de Zootecnia por integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-terra (MST). O PM não quis argumentação e agrediu o profissional, que tentava apenas exercer a sua atividade. Galeno foi levado, de forma coercitiva, no camburão, para o Plantão Policial e depois liberado. A desocupação do local ocorreu posteriormente, de forma pacífica. O registro da ocorrência foi finalizado como Galeno sendo vítima no caso e ele processará o PM Fabbris por abuso de autoridade e danos morais.

 

Galeno é, também, coordenador do Programa de Governo Participativo (PGP) do PT. O advogado Fernando Tremura, também do PT, estava no local, acompanhando a ocupação, e diz que Galeno não estava dentro da ocupação da Estação Experimental e apenas tentava o “livre exercício da profissão”. O major da PM, no entanto, já havia dito aos integrantes do MST que faria a reintegração de posse da área, com uso da Tropa de Choque, mesmo sem ter um mandado judicial, alegando defesa direta da propriedade, embora a ocupação já estivesse sido consolidada desde cedo.

 

Tremura diz que os laboratórios foram preservados e que houve vistoria da PM no ato da saída, inclusive dos ônibus que transportaram as cerca de 250 famílias de militantes do MST. A PM também impediu a entrada do carro oficial da deputada estadual Márcia Lia, do PT, que precisou forçar sua entrada e avisar que o comandante da PM seria responsabilizado pelo que ocorresse no local. A imprensa foi mantida à distância. A PM, assim, tentava evitar o registro de sua ação truculenta. O responsável pelos Direitos Humanos da subseção da OAB, em Ribeirão Preto, Paulo Franco, também foi agredido pelos policiais por “enforcamento”. Tremura informa que a única reação do MST foram palavras de ordem.

 

O MST fez a ocupação por ser contrária à venda da área da Estado, que é área de pesquisa para novos medicamentos e alimentos agro-tecnológicos. O governo estadual quer vender, em leilão, a área do Polo Regional de Pesquisa, que está vinculada à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), para fazer caixa, fazendo especulação imobiliária no local. Os sem-terra reivindicam a área para a reforma agrária.

 

A ocupação do local começou pela manhã. Galeno Amorim, ex-secretário de Cultura de Ribeirão Preto e ex-presidente da Fundação Biblioteca Nacional, chegou ao local no início da tarde para fazer a cobertura jornalística. A PM alega que o jornalista invadiu a área de segurança e foi contido pelos agentes, mas não é isso o que mostram as imagens registradas pela EPTV Ribeirão e pelo blog O Calçadão. O governo estadual diz que nos últimos anos o local teve investimentos de R$ 1 milhão, em estudos sobre doenças animais e de qualidade e beneficiamento de leite.

 

Ao tentar dialogar com o major da PM, Galeno foi “estrangulado” e teve o braço torcido, depois algemado e colocado à força dentro da viatura policial. Galeno tentou argumentar, dizendo que é jornalista há mais de 40 anos, mas o major alegou que estaria sendo desacatado. “Eu tentava entrar para registrar a ocupação, um policial falou que não podia e veio o major e falou para eu sair dali naquele momento, que iria contar até três, senão eu seria preso. Ele contou, um, dois, três, e me empurrou, dando-me uma chave de pescoço, me algemando e me colocando no camburão”, diz Galeno Amorim. E a viatura não foi diretamente para o Plantão Policial, para registro da ocorrência, mas ficou rodando pela cidade, segundo Galeno. Depois, na delegacia, ele ficou cerca de uma hora, algemado e trancado dentro do veículo, estacionado no sol. O termo do boletim classificou Galeno como vítima.

 

Veja o vídeo completo no blog "O Calçadão"

 

O dirigente estadual do MST, Fred Firmiano, argumenta que a Estação Experimental de Zootecnia é uma das 79 áreas que o governo paulista pretende vender para reequilibrar as contas públicas. Ele afirma que o clima ficou tenso com a chegada da PM, que fechou os acessos ao local. Ele garante a PM agiu com violência e, sob ameaça de uso de força, exigiu a saída das famílias mesmo sem um mandado de reintegração de posse. As famílias do Acampamento Paulo Botelho saíram do local pacificamente.

---
Rede PT Ribeirão
Receba nossas notícias pelo Telegram Seja Companheiro, faça sua doação ao PT de Ribeirão Preto

Comentários

Ainda não há comentários nesta notícia. Seja o primeiro!