Contra censura, Secretaria de Cultura do PT aposta em candidatos do setor

/ Por Agência Rede PT Ribeirão

Foto: Arquivo Rede PT

Contra censura, Secretaria de Cultura do PT aposta em candidatos do setor

Para Márcio Tavares, é fundamental ter nomes que defendam a cultura durante as Eleições 2020 “neste momento de avanço do obscurantismo”

É consenso para o Partido dos Trabalhadores que as Eleições de 2020 serão decisivas na luta contra a pauta retrógrada, antidemocrática e contrária aos direitos da população colocada em prática por Jair Bolsonaro. E, diante de cenário alarmante, ter representantes do partido nas prefeituras e câmaras municipais é tido como uma das prioridades do período para amenizar o sofrimento do povo brasileiro.

 

Para além dos cortes em áreas fundamentais como saúde e educação, num agravamento sistemático da gestão deplorável do golpista Michel Temer (MDB), a cúpula bolsonarista conseguiu também proeza ainda mais bizarra: escantear a cultura para um plano irrisório e transformar toda e qualquer produção que não atenda ao conservadorismo reacionário em curso como inimiga do governo federal.

 

“Nós queremos formar candidaturas, e isso é muito importante para a defesa da pauta neste momento de avanço da censura e do obscurantismo, para que tenhamos uma bancada de vereadores e vereadoras vinculados à cultura”, explica o secretário Nacional de Cultura do PT, Márcio Tavares – a conversa faz parte da série de entrevistas organizadas pela Agência PT junto com a Secretaria Nacional de Comunicação para abordar os principais temas do país.

 

A representatividade cultural nos municípios, claro, exigirá um grande esforço da pasta para mapear as candidaturas e oferecer material de apoio para que os possíveis postulantes tenham na ponta da língua o imenso legado deixado pelo PT ao setor.

 

Confira a entrevista com o secretário Márcio Tavares:

O que a Secretaria está preparando para apresentar ao Partido para as eleições de 2020?

Márcio – A Secretaria está participando desse esforço do partido para se apresentar bem nas eleições municipais deste ano.

 

A primeira questão que nós estamos desenvolvendo é a reformulação de uma cartilha programática. O PT tinha esta tradição, mas o último material editado foi no ano de 2008.

 

Tratemos isso de volta e, para 2020, criaremos um material amplo para tratar das experiências municipais, indicando os principais eixos do programa de governo, ajudando tanto as candidaturas a vereador quanto de prefeitos no país. Além, claro, de estabelecer um programa de cultura robusto.

 

Como as secretarias estaduais participarão?

Estamos, junto com as demais secretarias estaduais, fazendo um esforço de mapeamento de candidaturas vinculadas ao setor de cultura.

 

Nós queremos formar candidaturas, e isso é muito importante para a defesa da pauta neste momento de avanço da censura e do obscurantismo, para que tenhamos uma bancada de vereadores e vereadoras vinculados à cultura.

 

Nós estamos fazendo este processo e as secretarias estaduais são parceiras ativas.

 

Há propostas específicas?

A primeira etapa deste nosso trabalho será a realização de um seminário de formação com os nossos candidatos para as eleições. E isso irá precisar também do indispensável apoio das secretarias estaduais para organização desta plataforma e das candidaturas nos municípios.

 

Da Redação da Agência PT de Notícias

---
Rede PT
Receba nossas notícias pelo Telegram Seja Companheiro, faça sua doação ao PT de Ribeirão Preto

Comentários

Ainda não há comentários nesta notícia. Seja o primeiro!