Joana Leal

Joana Leal

Joana Leal nasceu em Paranaíba, no Mato Grosso do Sul, em 14 de setembro de 1949. Na juventude, estudou em Araçatuba (SP), onde fez o magistério e, em seguida, ingressou no curso de Letras da Fundação Toledo de Ensino, na mesma cidade paulista. Já formada, foi aprovada em concurso público e chegou a Ribeirão Preto em 1976 para trabalhar como professora de português e inglês na Escola Estadual Edgardo Cajado, no Ipiranga. Joana trabalhava num bairro pobre, onde a cidade acabava justamente na escola naquela época. Ela educava crianças e adolescentes durante o dia e à noite e, invariavelmente, via crianças desmaiando de fome. Com consciência social, aos domingos, na mesma escola, ela organizava campanhas para arrecadar alimentos e ajudar as famílias carentes do bairro e, consequentemente, minimizar as deficiências físicas dos alunos durante as aulas.

 

Em 1977, Joana ingressou, como representante da escola, na regional do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), tornando-se presidente local. Atuou pela entidade também na região e, por nove anos, na direção estadual. Joana esteve ligada à Apeoesp entre 1977 e 1993. Em 1978, Joana casou-se com José Paulo Rodrigues Garcia, com quem teve duas filhas: Ana Paula e Luciana. Em sua trajetória social, entrou na política e participou da fundação do Partido dos Trabalhadores (PT) em Ribeirão Preto, em 1981. Na eleição de 1988, Joana Leal Garcia foi candidata a vereadora e foi a terceira mais votada, com 903 votos, ficando atrás apenas do eleito Antônio Palocci Filho e de José Dantas.Em 1992, no entanto, Joana foi a única vereadora do PT eleita, com 1.845 votos, e a primeira mulher do partido na Câmara. Com sua atuação dedicada na Câmara, apoiando o prefeito Palocci, ela afastou-se aos poucos da Apeoesp.

 

Com a ativa atuação partidária, ela foi eleita presidente do Diretório Municipal do PT, em 1993 (cargo ocupado até 1995), e candidatou-se a deputada estadual em 1994, obtendo 8.907 votos em Ribeirão Preto, mas insuficiente para conseguir uma cadeira na Assembleia Legislativa. Mas a carreira política seguiu e Joana Leal Garcia foi reeleita vereadora em 1996, com 2.992 votos.

 

Em 1998, uma nova tentativa na eleição a deputada estadual, obtendo 17.183 votos (sendo 12.808 dentro de Ribeirão Preto), também insuficientes para elegê-la. Em 2000, Joana obteve 5.201 votos e elegeu-se para o seu terceiro mandato na Câmara de Ribeirão Preto. Porém, aceitou o desafio e o convite do prefeito Antônio Palocci, novamente eleito, para ser secretária municipal da Educação, cargo exercido por um ano e meio. Depois ela retornou à sua cadeira na Câmara.

 

Em 2004, Joana desistiu da candidatura à reeleição a vereadora, mas como seu nome não foi retirado oficialmente, ainda obteve, sem fazer campanha, 1.211 votos. Desde então, aposentou-se como educadora e afastou-se da política para cuidar da família e da área administrativa e financeira da empresa Garcia Aviação Agrícola, do marido, função que exerce até hoje. Além das duas filhas, Joana tem dois netos: os gêmeos Júlia e Lucca.