-->

Imagens impressionantes de uma mancha de óleo cru com 21 quilômetros quadrados se aproxima da Bahia


A imagem impressionante de uma mancha de óleo cru captada por um satélite europeu em direção ao litoral da Bahia mobilizou as redes sociais, pesquisadores e autoridades. A mancha tem 21 quilômetros quadrados, quase o tamanho da cidade de Taboão da Serra, em SP. Litoral baiano vive momentos de apreensão


247 - A imagem impressionante de uma mancha de óleo cru captada por um satélite europeu em direção ao litoral da Bahia mobilizou as redes sociais, pesquisadores e autoridades. A mancha tem 21 km quadrados, quase o tamanho da cidade de Taboão da Serra, em SP. Litoral baiano vive momentos de apreensão. 

A reportagem do jornal Folha de S. Paulo destaca que "uma mancha de óleo cru de 21 quilômetros quadrados e outra de 3,3 quilômetros quadrados estão a cerca de 100 quilômetros de distância do litoral brasileiro. As anomalias foram identificadas pelo professor do curso de Oceanografia da UFBA (Universidade Federal da Bahia), Pablo Santos, que é especialista em sensoriamento remoto. As manchas foram identificadas por um satélite da União europeia, cuja base de dados é parcialmente pública. O radar identificou a mancha às 7h55 desta sexta-feira, horário do Brasil, momento em que estava a 100 quilômetros da costa brasileira entre os estados de Sergipe e Bahia."

Em outra matéria, o mesmo jornal informa que "o oceanógrafo Carlos Valério vive em Praia do Forte, um dos principais destinos turísticos do litoral norte da Bahia. Desde 30 de agosto, quando as primeiras manchas de óleo começaram a ser detectadas na costa do Nordeste, seus dias correram sob o temor de que a sujeira chegasse à praia onde vive e trabalha monitorando recifes de coral."

O oceanógrafo Carlos Valério diz: "quando a maré baixou sexta (11) de manhã cedo, o que vimos foi um terror. O recife tomado por uma massa de óleo, algumas manchas com mais de 2 metros de diâmetro. Em uma manhã, tiramos mais de 2 toneladas de óleo da praia. E só não foi mais porque a maré começou a subir, aí tivemos que parar", conta Valério, que é fundador da Oceanauta - Consultoria Ambiental."

A matéria ainda sublinha que "Salvador está 70 quilômetros ao sul de Praia do Forte. Na capital da Bahia, as primeiras pelotas foram detectadas em pelo menos quatro praias também nesta sexta-feira. Elas são disformes e do tamanho de moedas. De longe, mais parecem pequenas pedras soltas na areia. Se tocadas, apresentam uma textura emborrachada. Então, quando partidas, revelam-se completamente: é puro óleo."

Deixe um comentário

Receba nossas notícias pelo Telegram

Seja Companheiro, faça sua doação ao PT de Ribeirão Preto