-->

Povo venezuelano reafirma em marcha do 1º de maio sua disposição de defender o governo chavista

Caracas, 02 Mai. AVN* – Os trabalhadores venezuelanos se mobilizaram nesta quarta-feira em uma passeata até o Palácio de Miraflores, em Caracas, para comemorar o Dia Internacional do Trabalhador e para expressar a consciência trabalhadora em defesa de suas reivindicações e da decisão absoluta de defender a pátria e a revolução nas ruas.

A marcha foi recebida pelo presidente da República Bolivariana da Venezuela, Nicolás Maduro, que considerou a mobilização como monumental.

“O 1º de maio é dia de pátria operária internacional, dia do socialismo mundial, dia da classe operária heróica da Venezuela que derrotou um golpe novamente. Este 1º de maio se encheu de povo como nunca antes, desde cedo com uma mobilização que cobriu as vias de Caracas até chegar a Miraflores”, ressaltou.

Maduro destacou  que a marcha tem um grande significado já que acontece um dia depois da intentona golpista da extrema-direita contra o governo constitucional da República Bolivariana da Venezuela que foi derrotada graças ao povo.

O chefe de Estado afirmou que o povo revolucionário está consciente e saiu às ruas mais uma vez para dizer não ao golpe de Estado como fez em abril de 2002.

John Bolton por trás do golpe

O presidente venezuelano denunciou o assessor de Segurança do governo dos Estados Unidos, John Bolton, por dirigir as manobras de golpe de Estado fracassado desta terça-feira.

“Hoje saiu informações de Washington. Parece que houve muito nervosismo nos Estados Unidos, ontem. Estive lendo uma crônica que publica um diário internacional da Europa, descrevendo como na própria Casa Branca, desde o amanhecer, estava o assessor de segurança, o enganador de Donald Trump, John Bolton, antes do amanhecer, coordenando todas as operações do golpe”, revelou.

Maduro também instou a justiça norte-americana que investigue as ações golpistas promovidas nos Estados Unidos.

Justiça para traidores

O presidente Maduro também ratificou que a justiça será feita contra todos golpistas, que trataram de se impor com o engano, a mentira, e a manipulação de um grupo reduzido de jovens oficiais da Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) para atentar contra a ordem constitucional.

Destacou que a união cívico-militar é leal à pátria e aos trabalhadores e que “têm em mim um Presidente que sempre defenderá seus direitos e reinvindicações, enfrentando o império e seus lacaios que pretendem arrebatar nossas conquistas”.

Jornada de consulta popular

O presidente Maduro aproveitou para convocar para o sábado, 4, e domingo, 5 de maio a uma grande jornada nacional de diálogo, de consulta, de ação e de propostas através do Congresso Bolivariano dos Povos, que reúne organizações do poder popular, para otimizar os planos do governo bolivariano.

A atividade contará ainda com a presença de governadores e prefeitos e de militantes do Partido Socialista Unido da Venezuela (Psuv).

Chamado a produzir

O chefe de Estado instou os trabalhadores, sua equipe de governo e ao poder popular organizado a continuar avançando no processo de recuperação econômica, atravé? do impulso à produção.

“É a classe operária que cria a riqueza de um país. Temos que avançar nas frentes de desenvolvimento e produção para coadjuvar a recuperação econômica do país e o fortalecimento da seguridade social”, afirmou.

* Os artigos reproduzidos não expressam necessariamente a opinião deste diário ou do Partido da Causa Operária

O post Povo venezuelano reafirma em marcha do 1º de maio sua disposição de defender o governo chavista apareceu primeiro em Diário Causa Operária.

Deixe um comentário

Receba nossas notícias pelo Telegram

Seja Companheiro, faça sua doação ao PT de Ribeirão Preto