Raquel Montero: Carnificina de gatos no cemitério da saudade

Foto: Thomaz Fernandes/G1

Raquel Montero: Carnificina de gatos no cemitério da saudade

Desde o dia 8 de junho gatos são encontrados assassinados no Cemitério da Saudade, em Ribeirão Preto. No dia 8 de junho, 7 corpos foram encontrados. Depois dessa data, as mortes continuaram e hoje não se tem mais o número exato de quantos gatos foram assassinados lá, segundo a Coordenadoria de Bem-estar Animal da Prefeitura de Ribeirão.

 

A Prefeitura de Ribeirão registrou boletim de ocorrência na Delegacia de Defesa dos Animais, assim como fez também o Centro de Controle de Zoonoses. Uma sindicância interna também foi aberta para apurar as mortes e todos os funcionários do cemitério serão ouvidos.

 

O Centro de Controle de Zoonoses também recolheu os corpos dos gatos para análise da causa das mortes. O laudo ainda não foi dado até a presente data.

 

Pessoa entrevistada pelo Jornal da Clube disse que encontrou gatos com braços decepados. Outra pessoa ouvida pela reportagem disse que suspeita de um casal de "furões" que esteja matando os gatos.

 

Redundante dizer que, como animais, estes seres, outrora vivos, tem que ser respeitados e ter garantidas condições respeitosas de vida, num ambiente ecologicamente equilibrado.

 

Se tratam, tão-somente, de outra espécie de ser vivo, assim como humano é de outra espécie, e, ambos, da mesma forma, têm de serem respeitados. Nem um ser tem o direito de tirar a vida do outro. Os BOs que foram feitos só puderam ser feitos exatamente porque a vida dos seres vivos deve ser respeitada e assegurada o seu exercício, existindo, inclusive, leis específicas que preconizam isso e estabelecem punição para quem não observar essa regra.

 

No mesmo sentido a investigação da Prefeitura e da Delegacia devem ser rápidas para averiguar a causa das mortes e dar uma resposta para sociedade, baseada em duas linhas de atuação; na punição, como forma de justiça, a quem porventura tenha feito isso com os gatos, e em medidas de prevenção para conter ou prevenir novas mortes.

 

É dever da Prefeitura agir rápido nesse momento colocando suas estruturas e instrumentos para proteger a vida dos gatos que ficaram e fazer justiça sobre as mortes dos gatos que se foram de maneira tão deplorável.

 

À Polícia Civil também compete o dever de agir rápido e concluir a investigação para que justiça seja feita por parte do Judiciário também. As pessoas estão cobrando e esperando por isso.

 

Se existem, lastimavelmente, quem mata gatos, existem, heroicamente, os que defendem a vida dos gatos. É mais um momento de mostrarmos, inclusive por parte das autoridades, Prefeitura de Ribeirão e Polícia, qual lado é mais forte.

 

Estamos, com indignação e esperança, sedentos por justiça nessa carnificina.

---
Raquel Montero é advogada Seja Companheiro, faça sua doação ao PT de Ribeirão Preto

Comentários

Ainda não há comentários nesta notícia. Seja o primeiro!