Ninguém leva vantagem em tudo o tempo todo, certo?

Arte: Ana Favaretto

Ninguém leva vantagem em tudo o tempo todo, certo?

Creio que seja senso comum avaliar que agir de maneira rude, violenta, mal-educada, desinformada, desregrada e sem método seja muito mais fácil do que agir de modo diametralmente oposto, isto é, que é muito mais fácil fazer o errado do que o certo!

 

É muito mais fácil comer de boca aberta do que cuidar para que quem esteja ao seu lado, na mesa, não veja a comida triturada na sua boca nem ouça o barulho da mastigação.

 

É muito mais fácil bater no filho gay, pra que ele “se torne homem”, do que estudar e buscar compreender a questão da identidade de gêneros.

 

É muito mais fácil ser rude com a esposa, nos momentos de dificuldades financeiras, do que, pelo menos, se esforçar para compreender que o serviço de casa é um trabalho muito importante para a economia doméstica.

 

É muito mais fácil emitir opinião sem informação do que estudar o assunto; assim como é mais fácil ter uma alimentação desregrada, à base de alimentos industrializados, gordura, refrigerantes e bebidas alcoólicas, do que ingerir alimentos naturais, saudáveis e em quantidade suficiente para suprir as necessidades do corpo.

 

Também é mais fácil acreditar no pastor ou no padre do que conhecer a infinidade de credos e de crenças e seus fundamentos.

 

Sem atentar para o fato de que nem sempre o mais cômodo é o melhor caminho a seguir, Jair Bolsonaro se porta, sempre buscando a rota mais fácil.

 

Desse modo, é muito mais fácil ser intempestivo e rude com dirigentes de países que mantêm relações diplomáticas com o Brasil do que se informar acerca das correlações geopolíticas; assim como participar do Fórum Econômico Mundial de Davos de maneira desleixada é muito mais fácil do que se preparar, com o auxílio do corpo diplomático e econômico, para enfrentar o embate entre países ricos e em desenvolvimento, com a altivez que o Brasil merece.

 

Não há dúvidas de que conhecer profundamente a teoria marxista e seus desdobramentos é muito mais difícil do que repetir as insanidades de Olavo de Carvalho acerca do marxismo cultural.

 

Como o compromisso de Bolsonaro não é com a democracia, ou seja, com o empenho para se garantir a soberania da vontade popular, a opção menos trabalhosa é vantajosa, pelo menos enquanto ele conseguir convencer grande parte do eleitorado brasileiro de que as ONGs são constituídas por gente desonesta e desqualificada; de que a Terra é plana; de que a homossexualidade é doença; de que o aquecimento global é puro alarmismo; de que os indígenas atravancam o progresso; de que só há balbúrdia nas universidades; dentre muitas outras ideias abjetas embaladas pelo seu governo.

 

Bolsonaro governa sob a égide da Lei de Gérson, mas, ninguém leva vantagem em tudo o tempo todo, certo? O meio-campista da Seleção de 70 sabe muito bem disso, pois logo se arrependeu de ter vendido a sua imagem ao cigarro Vila Rica.

 

Está próximo o dia em que o povo brasileiro vai se dar conta de que o caminho da democracia não é o mais fácil, muito menos o mais cômodo, mas é o único que nos permite vislumbrar uma conjuntura na qual o povo seja o único beneficiário, não de vantagens, mas de direitos! É isso.

---
Márcio Coelho é Secretário de Cultura do PT de Ribeirão Preto Seja Companheiro, faça sua doação ao PT de Ribeirão Preto

Comentários

Ainda não há comentários nesta notícia. Seja o primeiro!