Para que serve um vereador que não vota?

Foto: Reprodução Facebook

Para que serve um vereador que não vota?

Não votaram a favor do decreto legislativo que tenta obrigar a Prefeitura a retomar o pagamento dos salários do funcionalismo no último dia útil de cada mês os seguintes vereadores: André Trindade (DEM), Bertinho Scandiuzzi (PSDB), Boni (Rede), Elizeu Rocha (PP), Fabiano Guimarães (DEM), Gláucia Berenice (PSDB), João Batista (PP), Maurício Gasparini (PSDB), Paulinho Pereira (PPS), Paulo Modas (PROS) e Renato Zucoloto (PP)

Na noite de ontem, 14 de fevereiro, a Câmara de Ribeirão Preto derrubou o decreto do prefeito Duarte Nogueira (PSDB), publicado no Diário Oficial do Município (DOM) de 2 de fevereiro que altera a data de pagamento dos servidores para o quinto dia útil do mês subsequente ao trabalhado, sem ao menos fazer nenhum debate com a categoria e muito menos com os vereadores sobre o motivo de uma mudança que afeta a vida de milhares de famílias que tem suas contas vinculadas ao recebimento no último dia do mês a vários anos.

 

Essa falta de diálogo do Governo Tucano não só com os parlamentares, mas com a sociedade demonstra um estilo muito peculiar de governar parecido com seu padrinho político Geraldo Alckmin (PSDB) que trata os servidores da Educação e demais áreas com a mesma truculência, já faz anos que o Governo estadual não cumpre a lei do Piso questionada judicialmente pela Apeoesp.

 

Na contramão dos interesses palacianos teve nessa sessão o projeto de decreto legislativo apresentado pelo vereador da oposição Orlando Pesoti (PDT) com o objetivo de revogar o decreto de Nogueira que teve 16 votos favoráveis e foi aprovado, mesmo com a derrota o Governo promete contestar a decisão da Câmara através de uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin).

 

Apesar do vereador ter a opção pela abstenção, quando o mesmo é eleito pelo voto popular, jamais o eleitor espera do mesmo recebendo um salário de mais de 10.000 e benefícios inerentes ao cargo que abra mão de sua prerrogativa fundamental que tange sua função de fiscalizador do executivo que é se posicionar através do voto, nesse caso os onze vereadores presentes se abstiveram demonstrando ou ter vergonha de votar medidas impopulares do Governo que apoiam ou pior se fazendo de surdos a voz da população e servidores que não aceitam as medidas equivocadas desse Governo que já demonstrou a que veio com propostas como essa e muitas outras como aumento de impostos acima da inflação.

 

---
Fábio Sardinha é professor de História, diretor estadual da Apeoesp e suplente de vereador do PT Seja Companheiro, faça sua doação ao PT de Ribeirão Preto

Comentários

Ainda não há comentários nesta notícia. Seja o primeiro!