Carnaval em São Paulo: diversidade, respeito e prevenção, por Alexandre Padilha

Carnaval em São Paulo: diversidade, respeito e prevenção, por Alexandre Padilha

Não dá para deixar de notar que, nos últimos anos, há um clima diferente envolvendo a cidade de São Paulo durante o Carnaval. Com o número de foliões só aumentando, pessoas de todas as idades estão se apropriando da cidade na tradicional e maior festa brasileira. Na semana pré-carnaval foi fácil identificar foliões com suas criativas fantasias a caminho dos blocos de rua, em uma energia contagiante. Muitos paulistanos possivelmente deixarão de ir às cidades com carnavais famosos para comemorar a folia aqui na capital.

 

Por ser morador do Baixo Augusta, adoro o bloco que leva o nome da região, mas não há nada mais emocionante que as manifestações afro, como o Bloco Afro Ilú Obá de Min. Vibro com os ensaios da Vai-Vai, nossa preto e branca, e com a animação que por meses toma conta de vários bairros com suas escolas de samba. Mas é bom demais ver como os blocos se multiplicaram. Este fenômeno traz para as ruas mais respeito à diversidade, felicidade e diversão de maneira simples. 

 

No Brasil todo, é decisivo o apoio do poder público na estrutura, trânsito, segurança, além dos cuidados a saúde dos foliões. Alegra-me ver marcas que construí quando Ministro da Saúde serem incansáveis no carnaval: o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), a Força Nacional do SUS nas maiores concentrações, as ações de prevenção de profissionais as DSTs/Aids e os blocos de carnaval inspirados na luta antimanicomial e na redução de danos, como o Cordão BiBiTanTã em São Paulo.

 

Na cidade de São Paulo, um estudo do Programa Municipal DST/Aids da Secretaria Municipal da Saúde apontou que 47% da população paulistana não usou camisinha na última relação sexual! Se precisar, o aplicativo “Tá na Mão”, que criamos na gestão Fernando Haddad, orienta sobre riscos após relação sexual desprotegida e onde procurar ajuda. Beba ainda muita água, esteja de barriga sempre cheia e, se beber, não dirija. 

 

Lembre-se: a cidade é sua e pular Carnaval só é possível uma vez ao ano. Então, divirta-se, sem excessos e com muita responsabilidade.

 

Alexandre Padilha é médico infectologista, foi Ministro da Coordenação Política de Lula, da Saúde de Dilma e Secretário de Saúde da gestão Fernando Haddad.

---
Alexandre Padilha é médico infectologista, ex-secretário de Saúde do Governo Haddad e ex-ministro da Coordenação Política do Lula e da Saúde da Dilma. Seja Companheiro, faça sua doação ao PT de Ribeirão Preto

Comentários

Ainda não há comentários nesta notícia. Seja o primeiro!